Você está aqui

Moreno, a cidade industrial da Societé Cotoniére Belge-Brésilienne

Location: 
, Moreno - Pernambuco
Moreno - PE - Société Cottonnière Belge-Brésilienne

A sociedade anônima Societé Cotoniére Belge-Brésilienne (SCBB) foi fundada na cidade de Antuérpia, Bélgica, em 23 de fevereiro de 1907 para estabelecer uma cidade industrial com fábrica especializada em tecidos de algodão, localizada no Estado de Pernambuco. O brasileiro João de Hollanda Vasconcellos foi nomeado como procurador no Brasil. Em 29 de novembro de 1907, a SCBB comprou o engenho de açúcar São Sebastião no vale do Rio Jaboatão a 28 km da cidade do Recife. A propriedade era servida por a rodovia Estrada Real e a ferrovia Great Western of Brazil Railway Co, assim ligando-a ao porto do Recife.

Moreno PE SCBB

Os engenheiros -arquitetos belgas Fernand Selvais e Pieter Gruschke foram os responsáveis pelo projeto urbanístico da cidade industrial. O industrial Wilhelm Bauer, natural da cidade de Mechelen, foi nomeado superintendente.

Na área central forma dispostos os prédios de apoio técnico, a termoeléctrica, as lojas de comércio e serviços, a praça da feira, as 12 vilas operárias, o conjunto de chalés de diretores e técnicos, uma Villa Belge como casa da superintendência, as duas escolas, posto de saúde, o campo de futebol, a pista de patinação e outros edifícios e logradouros públicos. A fábrica têxtil era circundada por um anel de trilhos que estava ligado à estação ferroviária.

Moreno PE Vila operario

A primeira fase do projeto deu-se entre 1910 e 1915, com a inauguração da fábrica, que abrigou mais de 3.000 operários como também 123 executivos e técnicos belgas com suas famílias para residir no "Lugar Belga" em Pernambuco.

Entre 1920 e 1933 deu-se a expansão do projeto, devido à crescente demanda de operários. Para isso, uma missão de engenheiros e arquitetos belgas, sob a direção de Pieter Gruschke, construiram 36 vilas residenciais, com destaque para a Villa Saint-Nicolas-Waes, com 17 casas em estilo "La maison flamande". Foi construído o Mercado Central (1922), a Praça das Baneiras (1923), a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição (1930) com a fachada inspirada na L'église Notre-Dame de l'Immaculée Conception de Liège (Bélgica). 

Igreja Matriz de Nossa Senhora da Imaculada Conceição - Moreno - PernambucoLuik Onze-Lieve-Vrouw-Onbevlekt-Ontvangenkerk

 

Moreno - PE - Praça da Bandeira

Praça da Bandeira em Moreno (PE) nos anos 1950, com a Fábrica Societé Cotonière Belge Bresilienne S. A. ao fundo.

O espaço público da Praça da Bandeira foi componente no fazer-se da classe trabalhadora local com suas sociabilidades, reivindicações, atuações e interlocuções políticas. Era um espaço de encontro para articular as reivindicações nascidas no chão da fábrica, um ponto de sociabilidade, de divertimento, um lugar de trocas de ideias e de mobilização de classe.

O Presidente da Republica dos Estados Unidos do Brasil, Getúlio Vargas, autorizou no dia 1 de julho de 1936, a sociedade anonima Société Cotonniere Belge-Brésilienne, com sede em Antuérpia, Bélgica, a funcionar na Republica, com as alterações introduzidas em seus estatutos pela assembléa geral dos respectivos acionistas realizada a 30 de julho de 1935.

Com a segunda guerra mundial, a SCBB perdeu os seus contatos com Antuérpia, mas manteve-se como empresa estrangeira no Brasil com os produtos da fábrica têxtil sendo exportados para os Estados Unidos e o Canadá, como também atendendo ao mercado brasileiros.

A crise da safra de algodão - a praga bicudo - fez como que a SCBB encerrasse as atividades no Brasil em 1966 e, assim, repassasse as ações dela para um grupo local, denominado Brasil-Belgo Union.

Fontes:

Fotos: