Você está aqui

Escadaria Palácio da Liberdade (Belo Horizonte)

Location: 
Praça da Liberdade, 21, Belo Horizonte - Minas Gerais
Belo Horizonte Palacio da Liberdade Escadaria
Data de inauguração: 
domingo, 12 Dezembro, 1897
Tombado: 
sim

Palácio da Liberdade

O Palácio Presidencial foi inaugurado em 1897. De traçado neoclássico, o projeto do Palácio da Liberdade mescla padrões arquitetônicos que vão desde de Luís XV (estilo de decoração de interiores e mobiliário que se desenvolve a partir da França durante o reinado de Luís XV, no século 18) ao mourisco (também chamado neo-islâmico, estilo artístico surgido na Europa no século 19, que buscava imitar e recriar a arte islâmica antiga). Seu objetivo era servir como sede administrativa do Governo de Minas Gerais e residência oficial dos governadores.

Grande parte dos materiais utilizados na edificação foi importada da Europa: artefatos de ferro da Bélgica, telhas de Marselha, pinho-de-riga da Letônia são alguns exemplos. No hall empregou-se o mármore de Carrara, e os diversos salões do palácio foram recobertos em parquete ricamente trabalhado, formando desenhos geométricos.

Palacio da Liberdade Escadaria Belga

Origem da escadaria

Há discussão sobre a origem da escadaria principal. Muitas fontes falam que foi fundida na Bélgica (Ateliers De Jaeger de Bruges) como a seguinte:

"Um toque belga é evidenciado pela estrutura em ferro fundido e mármore da escada projetada no Brasil e trabalhada na Bélgica, tendo como característica a art-noveau. A escada foi trabalhada em ferro batido com ornamentação floral, sendo totalmente produzida nas oficinas belgas Acières Bruges, utilizando o sistema de construção desmontável Joly, considerado um grande avanço tecnológico na época.  As peças dessa escadaria chegaram ao Brasil em maio de 1897, quando foi montada e passou a conceber em lugar de honra no Palácio Presidencial. É impressionante a imponência e elegância da escada que parece preencher todos os espaços do Palácio.

Palacio da Liberdade Escadaria Belga

Belo Horizonte Escadaria belga

Belo Horizonte Escadaria belga

Outra fonte esclarece que foi encomendada na Bélgica e fabricada na Alemanha por Eisenwerk Joly de Wittenberg.

Uma pesquisa no Arquivo Público de Belo Horizonte revelou que lá encontra-se o fundo AI.01.02.02.143 "Escadarias para o Palácio Presidencial e para as Secretaris do Interior, da Agricultura e das Finanças. Bruges e Rio de Janeiro 1896.12.10 - 1897.07.28" que contem 9 itens de comprovantes de despesas. A Comissão de Construção da Nova Capital de Belo Horizonte paguou no dia 20 de maio de 1897 um adiantamento de 60% do valor total de 46.000,00 marcos ao J. De Jaegher, representante da "Société Anonyme de Constructions, Forges e Aciéries de Bruges" para uma "Escada de [ferro] com galeria circular para o Palacio Presidencial, a encommenda 35 de 31/8/1896, vindo no vapor [Arqueferro] de Hamburgo em 20/05/1897 ". A planta da escadaria encontra-se no arquivo do IEPHA e contem a seguinte cabeçalho em alemão "Treppenanlage für die Société Anonyme de Bruges". As demais anotações na planta estão também em alemão.

Estes fatos, a escadaria vem da Europa com um barco de Hamburgo - a cidade de Wittemberg fica no rio Elbe que vai até Hamburgo -, o seu valor é expresado em marcos e a planta em alemão, junto com o testemunho do restaurador da escadaria, o Joerg Ammann, que demonstrou um catálogo da fabrica Eisenwerk Joly de Wittemberg, Alemanha, com uma referência desta escadaria, fazem nós concluir que a segunda fonte está correta: a escadaria foi encomendada na Bélgica e fabricada na Alemanha.

Ainda falta conhecimento sobre a relação entre a "Société Anonyme de Constructions, Forges e Aciéries de Bruges" e a "Eisenwerk Joly". O fato que a "Société Anonyme" e o resultado da fusão entre a fundição De Jaegher e a fundição Feldhaus, a última de origem alemão, pode esclarecer esta relação.

Planta_Escadaria_Palacio_Presidencial_Belo_Horizonte

A escada apresenta um elegante estilo art nouveau. Ela foi minuciosamente confeccionada em ferro batido com ornamentação em motivos florais, e é considerada obra prima. Demais, a escada ganhou prêmio em Londres pelo apurado gosto estético e inovação de sua técnica. 

Em 1920, o Palácio e a Praça da Liberdade passaram por uma reforma para receber o rei belga Albert I e a rainha Elisabeth,  em visita a Belo Horizonte. Os trabalhos consistiram principalmente em mudanças na decoração da edificação, quando predominou o gosto pelo estilo Luís XVI. A praça recebeu um jardim francês, ao estilo Versalhes, de formas geométricas e perspectivas profundas. O trabalho da época é considerado mais rico e mais harmônico do que o original.

O Palácio da Liberdade foi incorporado ao Circuito Cultural Praça da Liberdade e aberto à visitação pública em 2010, após a transferência da sede do Governo Estadual para o Palácio Tiradentes, na Cidade Administrativa de Minas Gerais.

O IEPHA-MG tombou o Palácio da Liberdade em 27 de janeiro de 1975.

Fotos: Marc Storms, novembro 2014

Pesquisa: Marc Storms, julho 2015

Fontes