Você está aqui

Panel floral na Palacete da Dona Laurinda Santos Lobos (Rio de Janeiro)

Location: 
Rua Monte Alegre 306, Rio de Janeiro - Rio de Janeiro
Centro Cultural Dona Laurinda Azulejos belgas Gilliot
Tipologia: 

Uma das mais belas casas de Santa Teresa na cidade de Rio de Janeiro é a que abriga hoje o Centro Cultural Laurinda Santos Lobo. Ao contrário do que muitos imaginam, a casa não pertencia à Laurinda, famosa mecenas do Rio no início do século XX.

Atenção especial para os azulejos belgas.

Erguido em 1907, pela Baronesa de Perina, o casarão foi construído no local onde existia um imóvel desde 1884. Adquirido depois pelo General Pinheiro Machado e em seguida por Joaquim Pires Ferreira, antigo senador do Império, o palacete sofreu reformas com a instalação de um enorme aquário cercado por estátuas de animais em cerâmica e um palco, onde conjuntos musicais se apresentaram nos dias de festa. Do antigo aquário não restou nenhum vestígio.

Centro Cultural Dona Laurinda

No final da década de 1970, a casa foi comprada pela Prefeitura dos herdeiros do Senador Pires Ferreira.

A casa se destaca por sua fachada simétrica, onde vê-se a data de sua construção: 1907. As janelas do térreo são em arco pleno, e as do primeiro pavimento são retas com sacadas emolduradas por cantaria. Uma imponente escadaria de mármore com balaustrada de alvenaria conduz o visitante à varanda do andar superior, onde vêem-se pilastras com capitéis esculpidos. No fundo da varanda encontra-se um portão em arco pleno com esquadria de madeira e vidros coloridos. Este dá acesso a uma sala azulejada onde, no passado, provavelmente funcionou um amplo banheiro. No andar superior da sala, cujo acesso se dá por meio de uma escada externa, funcionava o escritório do Senador Pires Ferreira.

Centro Cultural Dona Laurinda Painel Floral

Gilliot 75Outro destaque são os painéis de azulejos de motivos florais de procedência belga que se encontram na varanda da casa. Esta identificação foi feito pelo Belga Mario Baeck, que entre outros títulos e atribuições, é pesquisador com PhD em história da arte, especialização em materiais em imóveis históricos na Ghent University, e editor do periódico da Tiles & Architectural Ceramics Society (TACS) e editor do boletim do Círculo de Azulejos Cerâmicos Europeu (E.C.T.C. ou EUROPEAN CERAMIC TILES CIRCLE). O fornecedor dos azulejos é a empresa "Gilliot & Co." da cidade de Hemiksem, perto de Antuérpia. Centro Cultural Dona Laurinda Azulejos belgas GilliotCentro Cultural Dona Laurinda Azulejos belgas Gilliot

Mario nós enviou como prova, o desenho 75 do catálogo dessa empresa. A informação no site "Rio e Cultura" que a providência dos azulejos é Itália é equivocada. O Tripadvisor "Lindo, de atenção especial para com os ladrilhos belgas." está mais que correto.

O centro cultural localizado na Rua Monte Alegre homenageia um personagem famoso do bairro: Laurinda Santos Lobo (1878-1946), batizada por João do Rio de “Marechala da Elegância”. Sobrinha do homeopata Joaquim Murtinho, Laurinda chegou a presidir o Conselho da Federação Brasileira para o Progresso Feminino. Não hesitava em usar seu prestígio em prol das lutas feministas. A "diva dos salões" dividia-se entre Paris e Santa Teresa, onde morava em um luxuoso palacete na rua Murtinho Nobre. Ali realizavam-se concorridos saraus e reuniões literárias, frequentadas por nomes como Isadora Duncan, Villa-Lobos e Oswaldo Cruz. Após sua morte, o palacete foi abandonado e saqueado, e chegou a ser habitado por um traficante. Na década de 90, foi criado no local o Parque das Ruínas, com espaço para concertos, exposições e seminários.

A mesma casa contem também um outro mural com azulejos belgas

Fontes

Pesquisa e fotos: Marc Storms