Você está aqui

Vidros, espelhos e papéis de parede belgas no o edifício Martinelli (São Paulo)

Location: 
R. São Bento, 405, São Paulo - São Paulo
Prédio Martinelli
Tipologia: 

Primeiro arranha-céu da América Latina, o edifício Martinelli foi inaugurado em 1929, cinco anos após o início de sua construção. Com 20 andares, foi idealizado pelo italiano Giuseppe Martinelli e se tornou um símbolo de progresso para a cidade.

Desde o início de sua execução, o edifício foi motivo de uma grande polêmica. Na época, São Paulo possuía poucos prédios com mais de cinco andares e o projeto planejava alcançar a marca de 100 metros de altura, impressionando não apenas pela altitude, mas também pela largura de sua estrutura. 

Inicialmente projetada para ter 12 andares, a construção passou para 14 durante a execução, depois para 18, e no ano de 1928 foram acrescentados dois andares, chegando aos 20 um ano antes de sua inauguração. Após a avaliação de uma comissão técnica, que atestou a segurança da construção, o prédio obteve licença para chegar aos 25 andares. Porém, insatisfeito, Martinelli resolveu atingir o sonhado número de 30 andares – e de 130 metros de altura, por meio da construção de sua casa de cinco andares no topo do prédio.

O Edifício Martinelli se tornou admirável não apenas pela sua dimensão, mas por sua ornamentação. Construído com cimento importado da Suécia e Noruega, contou com cerca de 600 operários e com 90 artesãos, italianos e espanhóis, responsáveis pelo acabamento da fachada desenhada pelos irmãos Lacombe.

Além disso, foram utilizadas portas de pinho de Riga, escadas de mármore de Carrara, vidros, espelhos e papéis de parede belgas, louça sanitária inglesa, elevadores suíços, revestimentos de marmorite para as paredes das escadarias, pintura a óleo nos corredores a partir do vigésimo andar e 40 km de moldura de gesso em arabescos.

Prédio Martinelli

 

A partir da década de 50, o edifício entrou em uma fase de degradação extrema, ocupado por moradores de baixa renda, com o lixo sendo jogado nos buracos do elevador e servindo de cenário para alguns dos crimes mais famosos da época, segundo o jornal Piratininga.

Em 1975 ele foi desapropriado pela prefeitura e completamente reformado pelo Prefeito Olavo Setúbal e reinaugurado em 1979. Hoje abriga diferentes secretarias municipais.

Por causa da fase de degradação e a posterior reforma, não temos certeza, que os vidros e espelhos, que encontramos no corredor térreo, ainda são os originais vendo da Bélgica ou foram restituídos.

Martinelli espelho belga

Martinelli vidro belga

Fontehttp://www.prediomartinelli.com.br/historia.php

Fotos coloridas: Marc Storms