Você está aqui

Fonte Beleza - Parque das Águas (Caxambu)

Location: 
Rua João Carlos 100 , Caxambu - Minas Gerais
Caxambu Fonte Beleza
Data de inauguração: 
quinta-feira, 16 Janeiro, 1913
Tombado: 
sim

A Fonte Beleza era conhecida anteriormente como Fonte lntermitente. Foi perfurada pelo Dr. Viotti em 1866. Como as fontes Duque de Saxe e Dona Leopoldina, seu estilo obedeceu ao empregado na época para as fontes francesas e o projeto de 1913 é de origem belga. O projeto arquitetônico original, datado de 16.01.1913, apresenta a planta e a fachada do “Pavillon pour la 4me. Source” com carimbo de “Societé Anonyme des Aciéries d’Angleur” de Tilleur – Belgique e está arquivado no IEPHA.

Trata-se de um pequeno prédio que possue um teto acupulado pintado, erguido por finas pilastras de ferro. O acesso à fonte, que tem a sua volta azulejos decorados, se dá por uma escada que possui nove degraus e corrimão de ferro.

Caxambu Fonte Beleza Construção BelgaCaxambu Fonte Beleza Construção BelgaCaxambu Fonte Beleza Construção Belga

Diplome d'Honneur Bruxelles 1910A empresa de Lambary, Cambuquira e Caxambu recebeu na Exposition Universelle de Bruxelles em 1910, um diploma de honra pela Fonte Intermitente (ou Beleza).

Escreveu Jason Barroso Santa Rosa, durante os anos de 1996 e 1997 arquiteto do IEPHA/MG responsável pelo trabalho de pesquisa e elaboração do processo técnico de tombamento que resultou na proteção:

"A crescente urbanização e a importação de costumes europeus evidenciaram uma mudança na vida brasileira, recém saída de uma realidade colonial, onde o convívio social ocorria geralmente por ocasião de eventos de caráter religioso. Nesta época, então, surgiram novos programas urbanos e se multiplicaram os espaços e serviços públicos, com abertura de praças, passeios e jardins públicos, proporcionando, assim, o embelezamento das cidades.

Os equipamentos públicos eram insuficientes para atender ao crescimento da demanda por modernização, e nesse sentido, a utilização do ferro importado passou a ser uma constante na construção do mobiliário urbano. Os governos municipais e estaduais estavam sempre envolvidos no patrocínio da importação desses produtos pré-fabricados em ferro.

Os pequenos pavilhões e coretos foram tão bem assimilados e tantos foram importados, que se constituíram nas peças mais populares e decorativas do mobiliário urbano.

Em Caxambu, estruturas semelhantes às dos coretos foram utilizadas para cobrirem as fontes públicas de águas minerais. Os coretos e pavilhões em ferro existentes no Parque das Águas e na Praça 16 de Setembro possuem partido quase circular, com planta e cobertura facetadas de forma octogonal. No caso dos pavilhões, como por exemplo, os das fontes Duque de Saxe e Beleza, os guarda-corpos, em ferro ornamentado, não foram colocados contornando as estruturas, como indicam os projetos originais dos mesmos, mas sim, guarnecendo internamente as bicas das fontes. De uma maneira geral, o ornamento nos coretos, aparecem de forma eclética e expressando todas as possibilidades decorativas do ferro fundido e forjado.

O coreto da Praça 16 de Setembro e o coreto e pavilhões das fontes D. Leopoldina, Duque de Saxe e Beleza do Conjunto Paisagístico e Arquitetônico do Parque das Águas formam um grupo representativo da arquitetura em ferro produzida no final do século XIX e início do século XX. A eficácia comprovada dessas estruturas, a durabilidade dos materiais empregados e, em alguns casos, as qualidades estéticas, justificam sua importância na evolução dos meios construtivos utilizados na arquitetura. Os exemplares aqui analisados integram não somente o patrimônio arquitetural da cidade, do estado ou do país, mas, dada a sua raridade, constituem parte da história própria da arquitetura universal, como remanescentes de uma arqueologia industrial. A preservação desse significativo acervo revela-se e impõe-se de maneira incontestável e imprescindível."

Infelizmente, como demostram as fotos, falta manutenção, por exemplo, nas pinturas das colunas e do teto.

Fotos: Marc Storms, janeiro 2015

Fontes: