Você está aqui

Vitrais Centro Cultural Justiça Federal (Rio de Janeiro)

Location: 
Avenida Rio Branco 241, Rio de Janeiro - Rio de Janeiro
Centro Cultural Justiça Federal Vitrail belga Sala de Sessões
Data de inauguração: 
sábado, 3 Abril, 1909
Tombado: 
sim

Ao lado dos prédios da Biblioteca Nacional, do Museu Nacional de Belas Artes e do Teatro Municipal, o edifício do Centro Cultural Justiça Federal (CCJF) é um dos marcos das obras do prefeito Pereira Passos no início do século XX. O prédio, de quase 6 mil m², foi destinado inicialmente à Mitra Arquiepiscopal do Rio de Janeiro. Em 1908 o prédio foi adquirido pelo Governo Federal para a instalação do Supremo Tribunal Federal (STF), que ainda não possuía sede definitiva. Por mais de 50 anos, o prédio foi palco de pronunciamentos de toda a classe jurídica brasileira e testemunha das mais importantes decisões da história da justiça no país. A construção do prédio teve início em 1905 e foi inaugurado em 3 de abril de 1909. Projetado pelo arquiteto Adolpho Morales de Los Rios, o edifício é um dos mais importantes testemunhos da arquitetura eclética do país.

Os vitrais são de artista belga F. Urban

O hall central, com a escada monumental de ferro de origem desconhecida, possui um grande vitrail atrás da escada de autoria de Gaston Formenti, um artista independente. Acima, uma rosácea feita com vidro belga. A Sala de Sessões possui 03 vitrais confeccionados pela Casa Conrado de São Paulo. A sala ao lado, a sala VIP, possui um outro vitral produzido pela mesma casa. Uma placa na Avenida Rio Branco, perto da entrada do prédio informa: “Os belíssimos vitrais são de F. Urban”. O belga François Frank Urban era desenhista da Casa Conrado.

 

Centro Cultural Justiça Federal Vitrail Sala Sessões

No site "Rio e Cultura" pode-se encontrar a seguinte informação: A imagem da Justiça está de olhos abertos. De autoria do artista Urban, o vitral evoca a imagem da deusa romana Iustitia (Justiça), que geralmente é representada pela figura de uma mulher que distribuía a justiça por meio da balança, com os dois pratos e o fiel no meio. O vitral da imponente Sala de Sessões do CCJF chama a atenção por trazer uma imagem da Justiça sem a tradicional venda nos olhos. A não ser a venda, a imagem retratada no grande vitral da parede frontal traz todos os símbolos da Justiça: a balança, a espada, o leão (símbolo de poder, sabedoria e justiça) e o barrete na cabeça, que, como os demais elementos de cor amarela, representa o triunfo da idade do ouro.

Durante visita no dia 4 de julho de 2016, o restaurador George Sliachticas explicou que os vidros jateados colocados nos vitrais são de origem belga. Os vidros jateados centrais são originais, os laterais foram recriados. A espessura do vidro original é de 6 mm e os desenhos feito através de um processo químico onde se utilizava ácido para desgastar a superfície do vidro. Hoje, o processo é feito com jatos de abrasivos não tóxicos.

Centro Cultural Justiça Federal Vitrail Lapidado

Centro Cultural Justiça Federal Rosacea

O STF ocupou o prédio até 1960, quando da transferência da Capital Federal para Brasília. Desde então,a edificação abrigou o Superior Tribunal Eleitoral, o Tribunal de Alçada e varas da Justiça Federal de 1ª Instância. Após sete anos de obras de restauração, o prédio foi aberto ao público em 4 de abril de 2001, já como Centro Cultural. O prédio foi tombado em 2006 pelo Inepac.

Fontes:

Fotos: Marc Storms, julho de 2016