Você está aqui

Schoenaers, Gerard (1872 - 1919)

Social Media: 

Cônego belga Gerard SchoenaersGerard Schoenaers, nascido em Helchteren, Bélgica, em 18 de março de 1872, entrou na abadia de Averbode em 1891 e recebeu o nome religioso "Tomás d'Aquino". Fez profissão em 1893 e foi ordenado presítero em Averbode em 1897. Depois de ter dirigido a Arquiconfraria de Nossa Senhora do Sagrado Coração, como diretor e tesoureiro durante quatro anos.

Côn. Tomás Schoenaers foi enviado em 1901 ao Brasil para o recém fundado colégio do Espírito Santo em Jaguarão (RS). Lá foi muito ativo nas atividades literárias e escolares e é autor da música do hino oficial deste colégio. Escreveu muitas cartas que resultam no livro "Drie jaren in Brazilië" (Três anos no Brasil), que entre outros, revelou sua viagem, vida em Jaguarão e a fauna e flora do Brasil.

Em 1909 foi nomeado reitor do Colégio São Vicente de Paulo, na cidade de Petrópolis (RJ) que os cônegos premonstratenses receberam dos Lazaristas Francesas.

Côn. Tomás tinha um caráter militar, que se manifestava muito na educação dos meninos e não agradou a todos e arrumou dor de cabeça aos superiores e confrades. O escritor flamengo e muito amigo da abadia em Averbode, Ernsest Claes, no seu livro "De oude klok" (O sino antigo) desenhou o seguinte retrato de Côn. Schoenaers: "Era um aristrocrata, que gostava de falar de 'força de vontade, firmeza de caráter, coragem heróica e espírito de abnegação'. O cônego apresentava, conforme o escritor 'algo juvenil e fascinante na sua apresentação' e sua bondade lendária o fazia amado no meio de seus confrades."

No início de 1916 voltou para a Bélgica para se colocar a disposição do governo belga. Serviu no exército durante dois anos nas trincheiras e foi nomeado Major-Capelão do Exército.

No início de 1918 voltou ao Brasil com uma missão especial do governo belga e se hospedou no Rio de Janeiro. A finalidade era dupla: propaganda da ação da Bélgica na guera e também econômica. Ele traduziu no mesmo ano um documento do Cardeal belga, dom Mercier, em português: "A algma belga sob o guante da oprressão tedesca", vendido em benefício das vitimas belgas da guerra. Schoenaers, entrevistado a um jornal carioca, elogiou a missão militar brasileira em terras belgas.

No fim de 1919 faleceu em Lovaina, Bélgica.

Fonte: 

  • O livro "Florilégio Premonstratense: Biografias de alguns premonstratenses que atuaram no Brasil nos anos de 1896 a 2006 / Godofredo Chantrain". - [2009] (p. 28-32)