Você está aqui

Armazém 15 (Manaus)

Location: 
Porto Flutuante de Manaus, Manaus - Amazonas
Manaus Armazem 15
Tombado: 
sim

O Armazém 15 é uma das mais antigas construções que integram o complexo do porto de Manaus, tombado em 1987, juntamente com as outras edificações que compõem o conjunto que se encontra distribuído pela área de ocupação mais antiga da cidade de Manaus, exatamente no ponto onde foi iniciada a ocupação do lugar. Portanto, a área histórica mais relevante da cidade.

Ainda que seja apenas um armazém em ferro, com a aparência singela de um galpão, trata-se de um relevante exemplar da arquitetura de ferro no Brasil, não somente por ser uma das primeiras construções no gênero. Mas pelo significado assumido para a história da arquitetura e do comércio local, sendo um modelo relevante entre as obras das construções de ferro mais antigas no Brasil.

Trata-se de uma edificação singela do ponto de vista de uma análise formal mais exigente, pois as suas linhas estruturais e seu desenho arquitetônico se encontram intimamente comprometidos com a função utilitária do projeto, ou seja, a armazenagem de mercadorias. Entretanto, constitui-se num raro exemplar das novas soluções construtivas apresentadas pela indústria naquele momento histórico.

Pesquisas diversas não conseguiram localizar documentos que confirmassem com precisão a procedência do material do Armazém 15, contudo a análise da aparência formal dos variados elementos que constituem a obra, assim como o estudo comparativo das soluções técnicas e construtivas adotadas levaram o historiador Geraldo Gomes da Silva a apontar grandes similaridades com a produção apresentada como sistema Danly.

Segundo o historiador Geraldo Gomes da Silva, o sistema Danly foi desenvolvido pela Forges D’Aiseau, fundição belga, uma das primeiras que desenvolverem a técnica de construções a partir de placas galvanizadas, uma importante inovação técnica da indústria capaz de solucionar, ao mesmo tempo, “o problema técnico do isolamento térmico das habitações metálicas, como para o problema estético gerado pelas tentativas industriais anteriores, no que se refere à vedação dos edifícios anteriores”. O sistema foi patenteado por Joseph Danly e se tornou conhecido no final do século 19, passando a disputar o mercado internacional, juntamente com a produção inglesa e escocesa.

Iphan restaura armazém de ferro e edifício do Conjunto Portuário de Manaus que vai funcionar com Biblioteca e Casa de Leitura Thiago de Mello 

A Iphan-AM está executando obras no Conjunto Arquitetônico e Paisagístico do Porto Flutuante de Manaus, bem tombado em 1987. As ações no Pier do Armazém 15 estão na etapa final, com 80% do projeto concluído. A estrutura metálica foi acrescida em 35% para adequar-se as frequentes oscilações do Rio Negro. Haverá ainda a execução da pavimentação em madeira e do guarda-corpo.
     
A recuperação do Armazém 15, em sistema Danly, trata-se de sistema construtivo muito utilizado a partir do final do século XX, consistindo de chapas metálicas prensadas e perfis de ferro, trazendo várias vantagens, como maior resistência. Pode ainda favorecer o isolamento térmico ou a aeração, dependendo da exigência climática, graças às peças perfuradas que separam as duplas faces de paredes. Paralelamente às ações estruturais estão sendo colocadas telhas com moderno sistema de isolamento térmico, uma vez que o imóvel não apresentava cobertura original.
     
O empreendimento quando concluído deverá trazer a público a primeira biblioteca temática de referência nacional que prestará homenagem a um dos poetas mais respeitados e influentes do país, o amazonense Thiago de Mello.

É possível acompanhar as ideias do projeto por meio do vídeo institucional Casa de Leitura Thiago de Mello – Manaus, que oferece uma boa dimensão do que vai ser esse espaço e sua importância para o ambiente cultural e turístico da cidade. No antigo Prédio do Thesouro serão instalados a Sala de Leitura; os acervos bibliográficos e iconográficos; os espaços técnico-administrativos; e a exposição histórica. Já o Armazém 15 de Novembro abrigará o auditório, espaço infantil, midiateca e espaço de exposições temporárias.

Fontes: