Você está aqui

Família MUYLAERT no Campos dos Goytacazes (RJ)

Existem no Brasil muitas pessoas com sobrenome Muylaert. Todos são descendentes de um casal belga: Charles Benoît Muylaert, que no Brasil foi chamado de Carlos Benedito Muylaert, e Maria Teresa Stienen (originalmente Marie Thérèse Stienen).

Ele nasceu em Grembergen, no dia 2 de dezembro de 1805, filho de Ludovico Muylaert e Ana Catarina Roels. Ela, nascida em Dendermonde a 26 de outubro de 1807, era filha de Guilherme Stienen e Petronilha de Bock. Casaram-se em Grembergen em 23. de novembro de 1831 e estabeleceram-se na rua Steenweg, nº 1.

Por algum motivo, vieram para o Brasil. Isto deve ser acontecido entre os anos 1841 e 1845. Após o desembarque no porto do Rio de Janeiro, dirigiram-se para Campos dos Goytacazes, onde fixaram residência. Charles faleceu em Campos dos Goytacazes antes do casamento de sua filha Joana, ocorrido em 1853. Maria Teresa também faleceu antes de 1853.

Charles e Maria Teresia tinham sete filhos, dos quais as primeiros seis nasceram na Bélgica. O lugar de nascimento dá indicação que a família chegou entre 1841 e 1845 no Brasil.

  1. Pedro Muylaert, batizado na vila de Appels (Bélgica), em 4 de abril de 1831. Casou-se com Helena Rita de Souza em Campos, no dia 20 de janeiro de 1866. Faleceu no dia 12 de janeiro de 1880.
  2. Maria Luísa Muylaert, batizada em 21 de dezembro de 1832, em Appels (Bélgica). Casou-se no dia 1º de agosto de 1850, com Miguel Barrabino, que nasceu na Sardenha (Itália).
  3. José Muylaert, Joannes Josephus, batizado em 18 de março de 1835, em Appels (Bélgica). Faleceu em Campos dos Goytacazes, em 2 de agosto de 1871. Foi casado com Rita Maria Pessanha.
  4. Joana Muylaert (Maria Joanna Francisca ou Joaninha), nasceu na vila de Appels, em 20 de maio de 1837. Segundo informações, ela teria ficado cega e foi residir com seu irmão Francisco, na chácara da Beira Valão, nº 100. Teria morrido na década de 1910.
  5. Francisco Muylaert, batizado na vila de Appels, em 12 de outubro de 1839. Casou-se no dia 12 de agosto de 1863 com Antônia Maria da Silva Pio. Faleceu em Campos dos Goytacazes, no dia 5 de dezembro de 1912.
  6. Leopoldo Muylaert, batizado na vila de Appels, em 14 de novembro de 1841. Casou-se em 23 de junho de 1866 com Luísa Maria da Costa. Leopoldo faleceu em Campos dos Goytacazes, no dia 12 de outubro de 1913. Era professor e músico (maestro). Citado na pág. 250 do Vol. 7 do Anuário Genealógico Latino.
  7. Ana Muylaert, nasceu em Campos dos Goytacazes, em março de 1845.

Pedro e Francisco se estabeleceram como funileiros no município de Campos dos Goytacazes, como informa o Almanak Administrativo, Mercantil e Industrial de Rio de Janeiro. A oficina de Pedro ficou na Rua Direita 20.

Leopoldo lecionou música de manhã na sua residência, a chácara Covas d’Aréa, e, na tarda nas salas dos ensaios da reunião musical Phil’Euterpe, rua Direita 9. Deu aulas de piano, criou composições de música, e foi secretário da Sociedade União Artística Beneficente em Campos dos Goytacazes. Teve 9 filhos. O mais velho Alberto (1866 – 1924), tocou junto com o pai, mais também sozinho piano durante diferentes concertos em Campos. Alberto mudou-se para a Bahia para estudar Medicina. Os outros filhos, Carlos, Etelvina e Olympia tinham também dons musicais e lecionam como o pai, musica e piano.

Muylaert Leopoldo polka Muylaert Leopoldo aula de musicaMuylaert Carlos Etelvina Olympia musica e piano

Ana, a filha mais nova, a única que nasceu no Brasil, não pode ser confundida com, provavelmente a mais conhecida descendente, Anna Muylaert (°1964) (também escrito como Ana Luísa Machado da Silva Muylaert), o nome por trás do filme ‘Que Horas Ela Volta?’, cineasta, diretora de televisão e roteirista brasileira. Ela, é a mais velha das três filhas de Celina e Roberto Muylaert.

Roberto (°1935) é jornalista, engenheiro, empresário e ocupou o cargo de presidente da ANER. Foi presidente da Fundação Bienal de São Paulo e organizou a exposição Tradição e Ruptura (1984) e a 18a Bienal de São Paulo em 1985. Foi diretor da TV Cultura entre 1986 e 1995. É pai da cineasta Anna, da editora e empresária Marilia e da paisagista Ana Clara. Seu avô é o já mencionado médico Alberto.

O sobrenome Muylaert não significa "moleiro", como no alemão "Müller", como explica o https://pt.wikipedia.org/wiki/Roberto_Muylaert. Os sobrenomes Muijl(l)aert, Muyll()aert, Mullaert, Meulaerts, Mulert são baseados na palavra flamenga “muil” que significa “focinho” ou na verba “muilen of snoet zetten, een zuur gezicht trekken, morren “ ou “colocar um focinho, fazer boquinha, murmurar” (fonte: Woordenboek van de familienamen in België en Noord-Frankrijk (grondig herziene en vermeerderde uitgave) Dr. Frans Debrabandere - L.J. Veen /Het Taalfonds 2003 http://home.scarlet.be/~tsd22610/FpageMi.htm )

Eddy Stols informa que no contexto de Pedra Lisa [veja http://belgianclub.com.br/pt-br /colonização-belga-em-pedra-lisa-campos-dos-goytacazes-rdj] situou-se a vinda a Campos [dos Goytacazes] do casal Charles Muylaert, originário de Aalst, cidade próxima a Zele, que deixou numerosa descendência no Brasil, ativa na música e nas artes.

Pesquisa: Marc Storms

Fontes:

  • Sainte-Cathérine du Brésil ou os belges em Santa Catarina / Eddy Stols. p. 22-23 Em: Brasil e Bélgica: Cinco séculos de conexões e interações. – São Paulo: Narrativa Um, 2014.
  • http://www.marcopolo.pro.br/genealogia/paginas/fam_muy.htm arvóre genealogico da família Muylaert por Reinaldo de Araújo Lima
  • Jornal "Monitor Campista"
Português, Brasil