Você está aqui

Família Hereman em Engenheiro Coelho (SP)

Hereman JoannesEm 1888 chegaram à Guaiquica, o atual Engenheiro Coelho, um município do Estado de São Paulo, os primeiros imigrantes belgas. Eles se instalaram no bairro dos Felipes. Foram Johannes Franciscus Hereman com sua grande família de 14, vindo de Eksaarde, cidade na província de Flandres Oriental.

Joannes Franciscus Hereman nasceu em Aalst (1838 - 1908) e mudou-se para Eksaarde em 1863. Foi considerado um 'imigrante', com apelidado de "Braubander", por causa de seu estranho dialeto. Em 1863 ele se casou com uma menina de Eksaarde, Anna Megroet (1841 - 1878) com qual tinha onze filhos. Anna morreu em 1878, e um ano mais tarde, ele se casou com Mathilde De Mol (1853-1921), também de Eksaarde. Ambos os casamentos juntos respondem por dezenove filhos. Joannes ou popularmente "João" é registrado como um varejista e gerente. No lugar "Oosteindeken" ele manteve o café "'t Land van Aalst" (O país de Aalst). Aparentemente deu errado, tinha muitas dívidas com uma cervejaria da cidade de Lokeren. Ainda um conflito com o padre da aldeia, que de seu púlpito, proibiu seus paroquianos a fazer negócios com o João. A situação financeira desesperada, o conflito com o padre, a chamada do Brasil - na época aparecem muitos convites de migração nos jornais belgas - fazê-lo decidir deixar Eksaarde. João migrou-se, em 1888, com grande parte de sua família, no total catorze pessoas, o filho mais novo, não tinha hum ano. A partir do porto alemão "Bremen" eles fazerem a travessia com o barco "SS Berlin" para o Brasil.

Na viagem foi roubado o dinheiro da família, por isto quando chegaram na cidade portuária de Santos, João dirigiu-se ao Consulado belga que lhe forneceu alguns dias de assistência financeira. Ele conquistou, como prometido, em arrendamento, um pedaço de terra no interior de São Paulo, cerca de 200 km no interior, em uma área totalmente isolada "apenas areia, pedras, arbustos e ervas daninhas." Após cinco anos, a terra já estava cultivada com café, plantas que só dão frutos após cinco anos, resultado de um trabalho duro. Ele escreveu no seu diário: "Se continua colheitas tão ruins, seremos, como tantos outros, obrigados a tentar outra coisa ou deixar tudo e voltar para a Bélgica." No entanto, a família Hereman continua a acreditar e persistir, e em 1895, João, conseguiu comprar um lote de 200 ha.

Por volta da virada do século, em 1901 Johannes Frans Hereman comprou uma área de 750 ha, a Fazenda São Pedro. Mas logo após esta compra, Johannes, com sua esposa, Mathilde De Mol, e três de seus filhos, dos quais dois nasceseram no Brasil, retornaram para Eksaarde. Lá, ele morreu em 1908.

Hereman PetrusHereman TheophileSeus dois filhos mais velhos, Theophilus e Peter (Pedro) Hereman gerenciaram a plantação. Esta produziu café, que foi enviado para a Bélgica e comercialisado com nome "Estrella de café", laranjas para a Bélgica, Holanda e Reino Unido, bem como cereais, algodão e mandioca. Peter (Eksaarde, 1863-1932) é a força motriz. Casou-se com Henriette Krebsky (1870 - 1954), nascido na cidade vizinha Limeira, de pais poloneses. O casal teve seis filhos. Theophile (Eksaarde, 13/06/1870 - 1940/07/08), no entanto, viajou na primeira década do século XX com regularidade para a Bélgica. Ele se casou com Emma Van de Velde, e tive três filhos. O mais velho, Francis, nasceu em Limeira. Theophile fundou em 1919, na rua 'Rechtestraat' na cidade belga Knesselare, uma primeira pequena fábrica de torrefacção de café sob o nome de "Estrella Brazileira". Theophile nunca voltou para o Brasil. Em 1924, ele começou uma indústria de torrefação de café sob o nome de "Estrella" na antiga rua da igreja.

Estrella KoffieBlazoen Braziliaanse Republiek

 

A logomarca da Estrella Koffie é claramente inspirada no brasão da República brasileira, mas na escolha das cores aparecem as cores belgas: vermelho, amarelo e preto.

A Fazenda São Pedro, uma área de 750 hectares com elevados níveis de emprego, atraiu a população local. Eles vieram trabalhar nas plantações de café como pessoas livres. Peter construiu edifícios para guardar o material de trabalho nos campos de café, instalações de armazenamento de grãos de café, silos, moinhos de vento para a energia e também casas para os trabalhadores, uma escola, uma igreja, em suma, foi criada uma vila, a Guiaquica.

Petrus Hereman conseguiu que ;a ferrovia atravessa a área, e, em 1912, foi construída a estação Guiquica no território da Fazenda. Alguns anos mais tarde, o nome da estação foi alterado em Engenheiro Coelho, como uma homenagem ao engenheiro ferroviário Alfonso Constante Coelho.

Peter que gostou de música, criou uma escola de música na aldeia e incentiva os trabalhadores a tocar um instrumento. Toda vez que ele saiu em uma viagem de negócios, ele foi acompanhado até a estação pelo ensemble musical, que no seu retorno estava lá lhe esperando tocando música.

Hereman Fazenda São Pedro

A área cresceu para 1.000 hectares. O crescimento das frutas e plantas é investigado a cavalo.

Em 1921, Peter deu a tocha para seus filhos, especialmente sua filha Helena Hereman, casada com Antonio Alves Cavalheiro e seu filho Christiano Hereman. No mesmo ano, Peter retornou com sua esposa Henriette Krebsky para Eksaarde. Cavalheiro foi nomeado nos anos 1920s juiz de paz e vice-prefeito da aldeia.

Em 1928, Frans Hereman, o filho mais velho de Theophile, visitou o Brasil para assumir a gestão e a plantação de café, que era ameaçada para ser dividida. O seu plano original era ficar apenas seis meses no Brasil, mas só retornou em 1940 para a Bélgica.

Ruas Hereman in Engenheiro CoelhoEntre 1940 e 1944, Christiano Hereman e os filhos de Cavalheiro e Helena Hereman venderam a Fazenda "São Pedro". A área central de 400 hectares foi vendido a um certo Forner e pedaços menores aos agricultores locais de café.

Em 1980, a torrefacção de café "Estrella" foi vendido à VanDeKerkhoves, o torrador de café de Ghent V DK.

Várias ruas no município de Engenheiro Coelho receberam nomes da família Hereman, como a Avenida Pedro Hereman, e a Rua Helena Hereman e Rua Victor Hereman.

Fontes:

Baseado no artigo "Grenzeloos: De uittocht van de Eksaardse familie Hereman naar Brazilië" de Marie-Madeleine DIERICK, publicado em "De Souvereinen", a revista do "Heemkring van Lokeren" (45 ste jaargang, nr. 3, juli-augustus-september 2014). Marie-Madeleine se inspirou no livro "Retratos De Engenheiro Coelho", de 2011, baseado em fotos que a família Hereman da Bélgica enviou para seus parentes no Brasil. Este material foi usado pelo histórico José Eduardo Heflinger Junior e o engenheiro Edison Fávero, professor da Universidade de Campinas (Unicamp). Por favor, entre em contato se poder emprestar este livro.​

Texto: Marc Storms

Português, Brasil