Você está aqui

Estrada de Ferro Oeste de Minas

A Estrada de Ferro Oeste de Minas (EFOM) - (São João del-Rei, 02 de fevereiro de 1878 - Belo Horizonte, 23 de janeiro de 1931) foi uma empresa ferroviária mineira.

No dia 28 de agosto de 1881 era inaugurada a Estrada de Ferro Oeste de Minas que contava então com as estações de Sítio, Barroso, Tiradentes e São João del-Rei.

Em 1885 a companhia adquiriu concessão para o prolongamento dando sentido ao nome que recebera. Seguiria rumo ao oeste de Minas Gerais dando seqüência ao seu traço que seguia o vale do Rio das Mortes. A partir de 1886 começaram, então, as obras da construção da linha tronco que, saindo de São João del Rei, alcançaria o município de Oliveira. 

De setembro de 1888, firmava, a Oeste de Minas, contrato com o governo de Minas Gerais para o prolongamento da linha tronco até o alto São Francisco e mais a construção de dois ramais, um em direção a Itapecerica e outro alcançando Pitangui.

Depois de terminados esses 602 quilômetros até Barra do Paraopeba a linha com bitola de 0,76m não mais se prolongou, sendo a bitola de um metro adotada para os próximos trechos da E. F. Oeste de Minas.

Com dificuldades financeiras e dívidas acumuladas, foi decretada a liquidação forçada da companhia em abril de 1900, vindo a mesma a ser adquirida em hasta pública pelo governo federal em 13 de junho de 1903, depois de estar sob a guarda do banco alemão Brasilianische Bank für Deutschland e do próprio governo federal.

De 1903 a 1931 a Estrada de Ferro Oeste de Minas foi uma das estradas de ferro encampadas pelo governo federal, vindo a ser arrendada ao governo de Minas Gerais em janeiro deste último ano junto com a Rede Sul Mineira (RSM) para formar a Rede Mineira de Viação (RMV).

O Diário Oficial de 5 de julho de 1925 informa nas páginas 14059-14060 o contrato com Soares de Sampaio & Comp., representantes da SA de Travaux Dyle & Bacalan, para o fornecimento de material rodante destinado a diversas estradas de ferro da União. Entre elas a Estrada de Ferro Oeste de Minas. O contrato estipulou:

  • Bitola de 1m00: 4 carros de 1° classe, 3 carros de 2° classe, 1 automovel de linha, 23 vagões fechados e 23 vagões para animais.

Fontehttps://pt.wikipedia.org/... 

Locomotivas ou vagões belgas usados nesta linha